Tratamento de dependência química requer apoio uma equipe especializada

Tratamento de dependência química

Tratamento de dependência química e os transtornos mentais são fenômenos complexos e que requerem tratamentos específicos que, com o auxílio de uma equipe multidisciplinar, podem ter resultados bastante satisfatórios. O acompanhamento multidisciplinar envolve médicos, psicólogos, assistentes sociais, terapeutas, educadores físicos, entre outros profissionais.

‘O paciente dependente químico ou com algum tipo de transtorno mental possui necessidades e possibilidades terapêuticas diferentes, por isso o tratamento precisa ser individualizado e realizado por uma equipe multiprofissional eficiente, afirma Ana Cristina Fraia, psicóloga e coordenadora terapêutica.

De acordo com a especialista, a abordagem multidisciplinar possibilita mais autoconhecimento, elevação da autoestima, estímulo à percepção do meio afetivo que cerca o paciente e seu relacionamento com este meio. Assim é possível fazer com que o paciente entenda o motivo do seu tratamento, criando um vínculo com a equipe que será utilizado como instrumento para sua reabilitação social e familiar.

Uma das áreas indispensáveis no tratamento da dependência química e de transtornos mentais é a assistência social, que busca entender o paciente durante e pós-internação, sendo responsável por incluir a família no tratamento. ‘Fazemos a ponte entre o tratamento dentro e fora da clínica na medida em que, após a alta, a família possa oferece o apoio que garantirá a prevenção da recaída dos sintomas. O serviço social direcionará sua prática para os problemas sociais que cercam o paciente, entendendo-se estas problemáticas como: abandono, conflitos familiares, questões trabalhistas e previdenciárias’, explica Leda Locatelli, diretora terapêutica e assistente social.

De acordo com o Dr. Isidoro Cobra, psiquiatra, o ambiente onde acontece o tratamento de pacientes dependentes químicos ou com transtornos mentais também é importante. ‘Nosso objetivo é estabelecer e proporcionar um ambiente agradável e seguro ao paciente, fortalecendo um vínculo terapêutico para que ele possa aprender a se expressar mais adequadamente, diminuindo sua ansiedade e auxiliando-o a lidar melhor com suas frustrações e conflitos da vida diária.’

Envolvendo o trabalho da equipe multidisciplinar no tratamento de dependência química e transtornos mentais, a enfermagem também é importante, pois é a responsável por oferecer cuidados que visam proporcionar bem-estar físico e emocional ao paciente, verificando, por exemplo, o surgimento de qualquer efeito colateral da medicação. Ainda dentro da abordagem multidisciplinar, os terapeutas ocupacionais se destacam, auxiliando na recuperação da função humana do paciente, elevando o perfil das suas ações motoras e mentais. ‘Tratamos das doenças por meio de atividades em conjunto e individualmente com o intuito de promover o paciente na esfera biopsicosocial, ou seja, recuperá-lo em sua totalidade e fazê-lo se sentir bem novamente consigo mesmo, com sua família e na sociedade’, completa a terapeuta ocupacional Adriana Bernardino.

Fonte: Diário do Litoral

1 responder

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] a criança parece estar confusa ou perplexa com a notícia de que uma pessoa da família vai fazer tratamento contra dependência química, Hofmeyer recomendou que é importante enfatizar que essa pessoa vai […]

Deixe uma resposta

Quer participar da discussão?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta